08 outubro 2007

Orgasmo

Por um instante o tempo parou
naquele exato momento em que o prazer era máximo
em que as mãos se entrelaçavam
em que as pernas se confundiam
e o desejo era só o de permanecer ali
naquele instante exato
em que a realidade não podia perturbá-los
em que ninguém saberia onde encontrá-los
onde eram apenas um do outro.

12 comentários:

Mr T. disse...

esse treco de orgasmo existe mesmo é? Assim, igual ao do texto? Não sei o que é isso a um bom certo tempo.

Dudu disse...

Belo texto!

...e de repente me deu uma tremenda vontade de ouvir o Bolero de Ravel (vc sabe a história?)

Bjs

R. disse...

Hum, eis que a mente vazia...

Bom, só faltou o "pregão", hahaha! Mas, bem, na falta dele foi outra coisa. Passa lá depois.

Bjs!

Thiago disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Thiago disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dudu disse...

Oi!
É que existe uma lenda urbana de que Maurice Ravel dizia que o 'Bolero' era a representação musical de um orgasmo (talvez pelo fato da música ser um 'crescendo') ;)

Nao sei se é verdade, nao achei nenhuma referência a isso por aí

Ingrith disse...

uau que texto ótimo!

Adorei!

Mythus disse...

Isso na cabeça dela. Na cabeça dele só tinha um "ahhh"...

Privilégios femininos...

"R" disse...

Que saudades dos meus orgasmos!

Ciça disse...

Conseguiu descrever bem. ^^

Beeeijos. :*

Sushi York disse...

uhahuauha
querida,mas vc nao mora no Rio????
Vc é B., o mr. B.?
ai, to confuso!!!

"Mr. R" disse...

recomentando!

que saudades dos meus orgasmos³

e eu que pensava que R ou mr R era privilégio meu!