03 abril 2011

O flato da morte

Minha mãe sempre me falou que tinha um trauma horrível de imaginar qualquer namorado seu cagando. Mijar tudo bem, mas cagar... ela simplesmente não era capaz de suportar que seu "príncipe" tivesse que se submeter a tal degradação por causa de necessidades fisiológicas.
Eu nunca tive este problema. Claro que não faço questão de ver, mas lido bem com a idéia de que ele também caga.
Mas o peido... gente, o peido é uma zona obscura e muito difícil. Porque, pensem comigo, tem coisa mais relaxante do que você estar deitado na cama prontinho para dormir, daí vem aquela vontade de peidar e você, tranquilamente, solta o fedegoso? Não tem!
Mas é meio esquisito fazer isso quando tem alguém do seu lado que você espera que te ache sexy e desejável, certo?
Esse é o grande dilema:
1. fazer a cool e, assumindo que é natural e fisiológico, peidar assim mesmo ou
2. nunca mais na sua vida peidar de maneira relaxada, tendo que levantar para ir no banheiro mesmo quando está frio e você se encontra aconchegadinha embaixo da sua coberta.

É uma escolha difícil. Deixo vocês com este pensamento por hoje.

5 comentários:

Karine disse...

Faço a egícia:
hmmmm, que fedor!!
num tô sentindo, não!!!

hehehehehe

Ju disse...

tenso, hein?!

depende de o quanto o cara vale a pena! rsrsrs

bjo

Mila. disse...

hahahahaa

essas coisas podem causar traumas!

B-Rhed Encore disse...

Se eu fosse mulher, eu iria ao banheiro...
Embora sendo homem, não vejo problema nenhum na minha mulher soltando um pumzinho, desde que eu não ouça...rs Mas, se ouvir, compreendo...o bumbum dela tá me chamando...rs
¬¬

bah. disse...

ainnnn sei com é!!! fico eu segurando até a morte pra não peidar perto dele! além da minha vergonha, ele acha a coisa mais horrível do mundo, então eu fico ainda mais tensa! ahaha