08 janeiro 2012

Depois do Happily Ever After

Morar junto é um exercício de auto-conhecimento e tolerância e mais do que tudo: um teste de amor.
Porque, amigas, preciso contar a verdade para vocês: o Prince Charming também caga, peida e acorda de mau-humor. Eu seeeeeei. Eu sei que isso foi um choque.
Mas recuperem os sentidos que eu tenho mais revelações sobre depois do happily ever after.
Situações que só a vida a dois te proporciona:

1. A bagunça. Sua mãe te enchia a porra do saco para arrumar as coisas, mas ela ia lá e arrumava quando você não estava a fim. Aí fostes morar sozinha e passastes a ter que fazer as coisas mas a bagunça era só sua. E se você não estava com saco, deixava o cinzeiro encher até sua casa feder como boate de strip e a geladeira estar cheia de bolor da cenoura safra de 1984. Mas a dois é diferente. Porque a bagunça é multiplicada por dois. E das duas uma: ou seu conjuge é bagunceiro pra cacete e você está eternamente fodida, tendo que arrumar a zona dobrada. Ou ele é organizado e você está eternamente fodida pois ele vai te encher o saco pela sua zona.

2. O fim do mistério. Esse item fala sobre aquele mágico momento em que você vai dormir e o Prince Charming aponta a bunda pro lado e peida tão intensamente que as paredes tremem. Ou ainda, aquele instante em que você está tão cansada que até levantar a sobrancelha parece trabalho para o Hércules e aí você pensa" What the hell?" e manda um flato matador rezando para que seu respectivo esteja em sono profundo e não acorde com o cheiro que parece emanar da boca do próprio sete peles. Ou ainda daquele momento em que você acorda com a cara amassada no seu pijama velho, dá de cara com o marido numa roupa que parece saída de uma hecatombe nuclear, com remela no olho e os dois percebem que ninguém acorda como nos filmes de comédia romântica.

3. A comida. E aí? Quem cozinha? Dako é bom? Todas são questões válidas e de difícil resposta. Mas a não ser que algum de vocês AME cozinhar todos os dias, essa será uma questão de eterna procura por equilíbrio. E eu, pessoalmente, não gosto de Dako. Prefiro GE.

4. Bufunfa Se você casou com o Eike Batista, não tem com que se preocupar. Provavelmente já assinou um contrato pré nupcial que diz que tudo o que ele tinha antes do casamento, durante ou depois é dele. E o que você tinha, tem ou terá também é dele. Afinal o homem não ficou rico fazendo caridade, né? Acorda, minha filha! Maaaaas, se você casou com alguém pertencente à plebe, como você, dinheiro é um assunto delicado. Creio que o importante é sempre conversar sobre o assunto para não criar nenhum atrito depois.

5. O cigarro Eu sei. Você sempre fumou cagando. Ou vendo TV. Ou cozinhando. Ou tomando banho (eu nunca fiz isso, mas alguns pacientes já me relataram isso, então incluo aqui). Mas agora vocês são duas metades da mesma laranja, um pinguim e sua geladeira, um par de vasos etc. Então, não se enganem: se o pinguim não quiser, a geladeira não pode fumar em qualquer lugar do apartamento. Por isso, nada melhor do que o xaxim esclarecer para a samambaia exatamente quais são os limites da nicotina no lar doce lar.

E por enquanto é isso. Em breve, novas notícias do front.

4 comentários:

Isa disse...

Força amiga!!
Apesar desse lado B do casamento, que nenhum FDP nos conta(acredito que com a inteção de não querer se ferrar sozinho hahahahahaha), tem aquele de olhar o companheiro dormindo, suspirar e ter a certeza de que está ao lado da pessoa certa (antes do primeiro peido da noite, claro).
1 puta beijo!

Pan disse...

Meu prince charming ja caga e peida quando eu to por perto, é bagunceiro, não cozinha (mas eu sim) e não tem bufunfa, assim como eu, então nesse caso não vai ser um choque hahaha

:-) disse...

Muito obrigada por esclarecer como são as coisas que não são mostradas nos filmes da Disney!!!

Fulana disse...

hahahahahahahaha que desestimulo para qualquer aventura desse calibre!