02 março 2010

Foi tudo verdade_ou_quinta feira do terror

Acordei faceira e cheguei no trabalho no meu horário habitual de 7h da madrugada, quando eram 9h recebo uma ligação do colega que trabalha comigo avisando que não estava se sentindo bem e não poderia ir, ou seja, eu não poderia sair no meu horário habitual de 16 h pois teria que cobrir o plantão dele até as 19h.
Atordoada com a notícia, fui sentar em minha cadeira e bati a cabeça no dispenser de álcool gel que fica na parede. Gemendo de dor, apoiei na divisória, que por sua vez caiu sobre mim.
Sentada em OUTRA cadeira, fiz a Poliana e pensei que tudo estava bem porque 11h eu iria até o salão de beleza ser mimada e fazer a sobrancelha pois tinha marcado horário uma semana atrás.
Toca o meu telefone e era do salão. A esteticista faltou e perguntaram se poderiam me reagendar para outro dia.
Reagendamento feito, me consolei pensando que 11h era um horário que eu geralmente almoço então eu almoçaria com calma já que o salão tinha babado. Nesse momento de reflexão sobre qual restaurante ir, minha chefe entra e diz que vai ter que sair para almoçar 11h sem hora para voltar se eu poderia cobrir tudo até a volta dela.
Resolvi então pegar um pacote de biscoitos na máquina e comer pois quando ela falava assim, 14h era cedo para voltar.
Ao acabar de comer e jogar o pacote na lixeira, ela entra na minha sala e diz que resolveu tudo mais rápido do que esperava mas que eu tinha que sair para ALMOÇAR NAQUELE EXATO MOMENTO.
Sem fome nenhuma, resolvo buscar minha calça jeans e um vestido na costureira que fica a uns 2km do meu trabalho.
Pego tudo, saio e...cai um temporal. Menina prevenida que sou, eu tinha uma sombrinha, que foi prontamente aberta. E também prontamente virou ao contrário, partindo-se.
Passa o camelô vendendo "FAMILIÃO UM REAAAAAAL".
Compro aquele guarda chuva que é um misto de arma e guarda sol e vou até um restaurante fazer uma quentinha para comer quando me der fome mais tarde.
A chuva não só aperta, como tenho quase certeza que vi Noé e um casal de patinhos acenando de uma arca que passava na mesma rua por onde eu ia andando.
Chego no trabalho molhada do pescoço para baixo. Tentando manter o alto astral ainda penso "Que sorte que as roupas da costureira estão secas!". Troco de roupa e passo o resto do dia atendendo os pacientes de vestido preto.
Os atendimentos terminaram e penso que já que estou só cobrindo o horário do colega, já que acabou tudo, vou embora uma meia horinha mais cedo.
Ledo engano. Os donos da clínica tinham escolhido esse singelo dia para a reunião de balancete do mês e TODOS estão lá.
Conformada, sento e olho a parede por meia hora.
Na estação do metrô paro e em poucos segundos um metrô chega. Antes que tivesse tempo de comemorar o fato de nada mais ter acontecido, percebo que todos os vagões abriram as portas menos o que eu estava em frente, que encontrava-se em manutenção.
Corro até o vagão mais próximo, chego em casa e encontro o técnico da net no saguão do prédio.
Já trêmula, pergunto o que ele está fazendo ali.
_Dona, a gente tá fazendo uma manutenção nos cabos. A senhora vai ficar sem internet, TV e telefone por essa noite, ok?
NÃO, NÃO TÁ OK, PORRA!
Era o que eu gostaria de ter gritado, mas dou boa noite e corro para dentro do apartamento já esperando encontrar alguma catástrofe.
Miraculosamente, tudo parece bem.
Vou dormir para que o dia acabe antes que mais alguma coisa aconteça.

14 comentários:

Anônimo disse...

Hahahaha
Eita humor gostoso de se ler!
Bjs B.
Dot

Kleber disse...

O que significa "fiz a Poliana"? É alguma gíria carioca que eu não conheço? eheheh

Ventania disse...

Curus... dorme logo! kkkk.
Adorei, se tivesse sido eu, surtava. Estava na sua clínica babando.

Bjo, Desirée

B. disse...

Poliana é personagem de um livro e ela brinca de um troço chamado jogo do contente. Tipo, teve um terremoto e um maremoto, mas pelo menos eu só quebrei as duas pernas e os dois braços e perdi toda minha familia. Podia ser pior, eu podia ter ficado paralitica e sido assediada por um tio pedofilo. Coisa nesse nivel.

Karine disse...

Caraca... que urucubaca! Vai dormir mesmo antes que algo te aconteça! Mas, o melhor foi você atender os pacientes da clínica de vestido preto. heheheheheh

Debor@h disse...

AHahha que dia heim. Me cansei só de ler, deu até medo haha Bjs

Fernanda disse...

que beleza de dia!

ô zica!

Jujuba disse...

pelo visto mais alguem teve dia de Caqui heheh

keila lima disse...

kkkkk
Desculpa rir de você, mas tem dias que as coisas acontecem assim mesmo!!!
Desventuras em série...

De qualquer forma, espero que tenha dias melhores!!

:)

Oksana disse...

Complô universal MODE is ON.
hahahahahaha

Espero que a urucubaca tenha partido com bilhete só de ida!

Priscila O. H. disse...

hahaha .. veja pelo lado bom ... toda desgraça do mês aconteceu em um dia só. Nos restantes é só alegria.

Anônimo disse...

Ontem eu era nova por aqui.
Hoje já me considero de casa, pq li TODO o seu arquivo.

Adorei!

Bjux

July

Dayane Kelly (Dayk) disse...

MEninaaa... Quanto desastre em um dia só ...mas como as outras disseram, poderia ser pior ne?
Pelo menos vc chegou em casa viva :-)

***GrAzI disse...

Oi!
Cheguei aqui pelo blog da Carrie e tenho que dizer que este post me animou e dei várias risadas... é muito verdade que "desgraça alheia" ou "pimenta nos olhos dos outros é refresco"... rsrs
Beijos!