04 outubro 2006

Dissecando antigos clichês

Eu estava lendo a Veja da semana passada e um dos escritores de uma série que eu adoro (Sex and the city) estava dando uma entrevista.
Ele falava sobre as diferenças entre homens e mulheres e repetia um clichê que até hoje me intriga:
Se você quer que um homem te leve a sério, não deve transar com ele na primeira noite e nem mostrar que está muito interessada. Tem que fazer um certo mistério.

Se for depender de seguir este conselho e ser misteriosa e fatal como Jessica Rabbit, acho que vou morrer solteirona.
Porque, não sei o que vocês pensam em relação a isto, mas eu sempre achei que o mais bacana num relacionamento, o que o faz ser recompensador...é justamente a espontaneidade!

É você se mostrar exatamente como é, rir dos seus erros e defeitos, zoar os do seu companheiro e, principalmente: ter intimidade e cumplicidade!
Como isto é possível se você passar a maior parte do tempo sendo misteriosa e fingindo não ter um interesse que você na realidade tem?

7 comentários:

Cristina disse...

Se algum homem concordar com isso, que a mulher tem que ser sempre misteriosa e fingir desinteresse, só me resta dizer "é um palhaço" ;). Deveria ser decretado que a necessidade de sermos espontâneos(as) seja uma verdade mundial.
Por que será que eles às vezes se declaram com "medo" de mulheres espontâneas? Eu, recentemente, fui acusada de ser muito "intensa". Não senti que foi num tom de elogio. Mas eles são indecisos, né... eu é que não quero fazer esse papel de desinteressada só para agradar. Quem quiser estar com a gente vai ter que aceitar todo o conteúdo do pacote. E quanto mais conteúdo, melhor.

Mythus disse...

Eu daria um desconto ao que ela disse. Uma boa comédia confronta clichés, assim sendo, uma boa comediante tem que tê-los todos bem decorados ;)

Quanto a relacionamento, começando bem cliché, eu diria que cada caso é um caso. Acho massa quando os dois são provocadores, misteriosos, sarcasticos, mas por mais que eu goste e fique louco-subindo-nas-paredes por dentro acho tremendamente intenso e desgastante. Se os dois forem cools, é jóia também, mas a gente sente falta de um temperozinho e sempre é odioso quando aparecem as brigas nesses relacionamentos porque são ultra complicadas para resolver. Já quando é "sparky" resolve-se mais rápido.

Todavia, como já estou me contradizendo com a frase inicial do parágrafo anterior, acho que é melhor concluir por aqui, só lembrando de uma coisa: todo cara/garota bonzinho(a) sempre vai encontrar alguém bem sacana pra montar em cima.

Nada como um final cliché :D

Brau disse...

B-zinha!!!
Antes de comentar o texto - menina! - te "vi" no blog de uma amiga minha (30&alguns), haha êta mundo pequeno mesmo, viu?
Mas então. Sempre fiquei me perguntando essa mesma coisa de que vc fala nesse post, e ultimamente MAIS AINDA. Tá, com essa atitude louca e desvairada de muita mulher que não se dá o respeito, a gente acaba pagando por elas e levando fama de "fácil" (pra não dizer outras coisas), mas HELLO! "FÁCIL" MY ASS! Pra mim, o cara que pensar assim de nós, modernas e bem-resolvidas mulheres de Vênus do século XXI, é um tremendo BOCÓ! E isso tem também tudo a ver com o último post lá do "30&...", esses BRUTOS têm que sair do armário, passar um creminho hidratante com fator proteção solar 15 e acordar pra vida! Rs.
Beijos!!!

Hades disse...

Concordo com tudo. Ainda bem que vc é como é meu anjo, pq dar uma de difícil morando tão longe é o mesmo que dar um tiro na cabeça do relacionamento, botar fogo e jogar as cinzas na privada...

Sepultamento total.

Pin Up disse...

Assista Love Inc. e dê risada. Achei sua cara e seu post é tudo a ver. =D

Veridiana Serpa disse...

eu acho esse papo de fingir que não quer (seja o que for) em um relacionamento é a maior furada. Outro dia uma amiga de 35 anos veio aqui em casa, está louca para casar, mas disse que qdo sai o certo é falar para os caras que não está muito afim. Eu falei pra ela que se eu fosse um homem mais velho, saindo com uma mulher de 35 que falasse que não queria nada, eu iria partir para outra... as pessoas tem que ser o que são dentro de um relacionamento...

Daniel disse...

Concordo em gênero e número. Espontaniedade é a palavra de ordem junto com respeito.