21 maio 2007

Sobre peixe cru, Pauzinhos e outras cositas más

Eu nunca tinha comido comida japonesa antes. Aliás, para não dizer NUNCA eu uma vez provei um sashimi em um restaurante a Kg e resolvi colocar uma colher de sopa daquele creminho verde e simpático que tinha uma cara muito boa. Pena que ninguém me avisou que era raiz forte. O sashimi terminou no lixo do banheiro depois que saí correndo feito uma ensandecida com fogo saindo pelas ventas...
Mas o negócio é que cismei que queria provar direito. Então meu fofo Mr. T levou-me em um restaurante muito lindo e típico chamado Mangá.
Um luxoooooo se vocês me permitem dizer. O moço tem bom gosto...é só olhar a namorada dele, né? ;-)
Resovemos pedir um combinado porque eu queria experimentar um pouco de cada coisa.
Depois de um árduo esforço ele conseguiu o inimaginável: eu aprendi a segurar os pauzinhos (do sushi, seu bando de tarados...do sushi! ) e a seguir todo aquele ritual de colocar um pouquinho de raiz forte (fui bem parcimoniosa desta vez porque o c* é meu então não é refresco...) no molho shoyo com gengibre.
Comi um pouco de cada, saí feliz, me sentindo chique e descolada. Mas estava tipo...faltando uma coisa quente, sabe? E também algo gorduroso e calórico como um Mc flurry com cobertura extra de chocolate...

_Amor, vamos parar no drive thru do Mc Donalds?

10 comentários:

Dono do Bar disse...

Esse é o ônus (eu disse ônus!) de todo aquele que é muito fino: passar fome! Nada com ser povão e comer um "xis bugre" na rua.

Abraços.

DB.

OgrO disse...

Sabe que compartilho de seus sentimentos? Não vou em restaurante japonês porque inevitavelmente janto (ou almoço) duas vezes... comida japonesa engorda!!! =D

Carol disse...

Olha, tem um restaurante maravilhoso aqui na minha cidade, não tive a mesma sorte de ter um Mr.T. para me ensinar com os pauzinhos, o meu "Mr.T." se convenceu há muito pouco tempo em experimentar um suchizinho, rsrs. Ah, eu? Não me dei bem com os malditos pauzinhos, mas o japonês disse q não era para eu me importar, desde então, sou feliz comendo com garfo. Hahahaha. Não é o que eu almejava, mas não fico sem ir lá. Abraços.

aNNaFLaVia disse...

Nada como um Mc pra satisfazer a fome! =P

Não sei usar os pauzinhos. =/

Miss Wilson disse...

Puxa...eu adoro comida japonesa e tem outras coisinhas que sustentam. Mas eu sou fâ de Mac...na verdade sou fâ é de comida gostosa...

Mythus disse...

Pois eu duvido que você consiga comer dois temakis (eu gosto de shake - salmão - com tudo que tem direito). Eu também te aconselharia a tomar um sunomono no fim da refeição. Tem algumas coisas que são muito gostosas, hot roll, por exemplo, agradam a qualquer pessoa. O teppan yaki também enche bastante (um filé de salmão com legumes e cogumelos).

Bem, mas vou parar aqui, senão escrevo um post sobre comida japonesa! hehhe

Neanderthal disse...

Oi B. a única vez que fui a um restaurantes de comida japonesa, sai com fome porque não conseguia nem engolir aquelas "coisas". Achei horrível. Uns dois anos atrás, quando passei uns dias com uma família de japoneses (uma amiga blogueira que virou uma grande amiga) em SP e embora tenha sido legal e a mãe dela tenha feito de tudo para me agradar, eu passei fome por outro motivo: eles faziam um prato que parecia comida de passarinho e eu fiquei com vergonha de repetir, encher o prato e fazer feio na frente deles. O que a gente não faz pelas aparências hein?
Quando ao seu comentário no meu blog, eu concordo contigo. Não estou feliz por estar agindo assim, mas já me acostumei com o fato de que nem tudo deve ser do jeito que eu penso. Eu não vou me desfazer das minhas amizades, pois não posso medí-las pelas diferenças. Mas eu não aceito por exemplo, que a minha amiga que vai casar daqui a dois meses traia o noivo num churrasco aqui em casa, na frente da minha família. Fiquei péssima diante da minha mãe e minha irmã! Estou cansada de estar entre amigos e um deles acender um cigarrinho de maconha como se fosse a coisa mais corriqueira e aceitável do mundo. Tinha um que estava tão doido que pediu para eu "apertar" porque ele não conseguia. E o pior foi que apertei. Eu posso enumerar vários exemplos de situações desagradáveis que passei por estar junto. Não vou deixar de falar ou de ser amiga, mas não quero mais ver, nem saber da ultima pulada de cerca de ninguém, nem de ter que ficar em ambientes com aquele "ar da jamaica", porque, por exemplo, se aparece polícia, um parente ou um preconceituoso, como vou explicar que apesar de estar no meio, estou alí só pela companhia e não estou fazendo o mesmo?
Mais que isso, não dá para dizer em um blog. Mas acredite, eu andei passando por uns constrangimentos...
BJus

Mr T. disse...

Bom, uma coisa é fato, da próxima vez a gente tem que levar o Mythus junto... rsrsrsrs.

Eu olhei aquele cardápio cheio de nomes impronunciáveis e disse "vamos pedir esse que tem um pouco de tudo"...

Mas o importante é que agora eu posso dizer que sou super-mega-ultra cult, leio Nietzsche (embora mal saiba escrever seu nome) e como comida japonesa...

Agora vou ali colocar uma calça colorida e um óculos de aro grosso e já volto.

B. disse...

Mythus, temos MESMO quee te levar pq lembro de ver umas coisas gostosas nas mesas ao redor e não sabia os nomes...
E, amor, óculos de aro grosso? Assim vou acabar achando que vc é irmão da minha prima...kkkkk

Nara disse...

comida japonesa?!! nao naooooooo...eu sou mais o arroz, feijão, carne, salada, ovo e queijo com goiabada de sobremesa.....ateh me acertar com akeles pauzinhos iria perder o apetite..............

bjuusss