25 novembro 2008

E o tempo, heim?

Não bastasse ter o mato na vista do meu apartamento, os animais silvestres que vejo de vez em quando e a natureza que insiste em entrar pela janela na forma de besouros e toda sorte de insetos bizarros.
Agora, a chuva também tem hora. Tipo, todo dia às 18h. Os programas agora precisam ser marcados assim:
"Vamos ao cinema? Ac ou DC?"
"heim?"
"Antes ou depois da chuva?"

Acho que estou morando numa floresta equatorial e esqueceram de me contar.
Pissionante...vou ali comprar pão A.C. e acabar de assistir meus seriados D.C. Sabem como é...a gente tem que se adaptar...

6 comentários:

Eduardo Otubo disse...

Quando li jurava que você estava falando do tipo de corrente elétrica do seu apartamente. "Que porra é essa que ela ta falando?!" - pensei.

:-D

Lilly disse...

Quer dizer que: rasteirinha nem pensar né? :D

Mythus disse...

Doutora Dolittle, você bem que podia montar um acampamento zen e convidar uns hippies pra curtir a natureza: chuva, insetos, etc. :)

Fernanda disse...

hahahahahahahahahah ÓTEMO!

Brau disse...

Uhauahuahuahuah. Bem sei como é isso. Eu tinha uma colônia de diversos tipos de insetos, vivendo dentro da minha luminária de teto. Digo, vivendo nao, né... Morrendo, seria mais apropriado. Quando entrata um maribondo eu pegava coca-cola, pipoca e ia torcer, pra ver quem ganhava a luta: o bicho ou a lâmpada. A lâmpada sempre ganhava e de tempos em tempos eu tinha que esvaziar o cemitério. Credo, que horrível. De-tes-to insetos! Iiiiiiiirc!

Mythus disse...

Poxa, Brau, fez lembrar um desejo meu de infância: ter uma "cadeiras elétricas" de insetos (uma pequena lâmpada no meio cercada de vários fios que eletrocutavam os insetos desavisados. Um amigo de infância tinha uma.